Especialistas da indústria


A auto-sabotagem empresarial e seus mandamentos

Por: Email Author

Por: Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial



Este artigo é patrocinado pela Plataforma Brasil, uma butique especializada em projetos de investimentos e estruturações estratégicas.


Caros leitores, poucos empreendimentos são tão complexos, tão viscerais e envolventes do que montar um negócio e dele sobreviver. Envolve trabalho duro, disciplina absoluta, disposição a inúmeros sacrifícios, sangue frio, eventualmente alguns enfrentamentos familiares difíceis (com consequências inesperadas), além do desprendimento diante do abismo que pode se abrir no meio do caminho.

Durante um bom tempo, o empreendedor vive a vida no fio da navalha, num constante gerenciamento de riscos e em permanente expectativa. No percurso, muitos valores e capacidades são acessados e por vezes desenvolvidos. Força de caráter, determinação, capacidade de superação constante, concentração, Com o tempo, e depois de uma boa estrada percorrida, o êxito se aproxima e com ele surge uma nova classe de riscos e perigos. Alguns destes, com impactos de toda ordem, priorizam afetar e operar na mente do empresário, sendo portanto essencial o seu reconhecimento, sem o qual será impossível combatê-los.

Tratam –se dos efeitos da auto-sabotagem, muito comuns quando a fase mais crítica já passou e se experimenta os louros da vitória (que quase sempre é efêmera quando nos descuidamos). Fruto de um conjunto de equívocos de julgamento e permeado de preconceitos irreconciliáveis, eles podem matar o futuro da sua empresa para sempre.

Assim senso, listamos alguns mandamentos para nunca seguir.

1. Crie complexidades gerenciais, abandonando a simplicidade, burocratizando com novas “modinhas” de gestão e conceitos propalados por “especialistas” que jamais construíram um único empreendimento bem sucedido que seja.

2. Se estiver vivenciando uma fase de bonança econômica, com o alto empresariado em estado de graça (principalmente se for em apoio ao governo de plantão) mídia internacional glorificando a pujança do seu país e a mídia interna despejando boas notícias cotidianamente, desenvolva a crença de que daqui em diante tudo o que se pode esperar é mais êxitos, mais mercados e por conta disso você pode finalmente relaxar um pouquinho.

3. Uma vez absolutamente convicto do sucesso do seu plano de negócios, tome dívidas financiando o seu capital de giro (sem se importar em enxugar para valer a sua estrutura) e sem nenhum plano de contingência.

4. Após colecionar algumas vitórias deixe a mente voar, pensando grande, muito grande e longe. Afinal você não chegou aqui por acaso e uma “energia” o acompanha e protege. Com esse caldo deixe a sua megalomania fluir, afinal de contas você sabe que pode vencer todos os obstáculos que surgirem, basta acreditar. E além do mais você está sempre acompanhado pelo signo da sorte, e pode contar com ela.

5. Após os primeiros tempos mais difíceis e depois de alguns sacrifícios duros enfrentados, ao invés de tornar a experiência passada em uma estrutura cultural permanente na espera de novos tempos também complicados, afrouxe um pouco ! Não seja tão duro com você mesmo e sua equipe, deixe de lado essa disciplina financeira tão rigorosa e deixem as coisas fluir mais naturalmente.

6. Reduza a carga de trabalho, e pare de pensar tanto assim em outras inovações ou aperfeiçoamentos. Você lutou muito para estar aqui, agora é hora de relaxar;

7. Contenha um pouco os seus críticos e se eles forem internos coloque-os logo na geladeira. Gente assim só serve para atrair “energias” más e acabam por desestruturar o clima “positivo” do ambiente. Neutralize o senso crítico ao redor o mais rápido que puder, não deixe que isso influencie negativamente o resto da equipe;

8. Depois de tanto tempo construindo o seu negócio com rigor e disciplina operacional e financeira, cumprindo prazos, e primando pela eficiência honrando compromissos oferecendo total confiabilidade, já é hora de relaxar um pouco, caso contrário talvez o senso lúdico se vá para sempre, sem contar  com o senso de humor  - essencial ao processo inovador – que pode ser evaporado definitivamente com essa história toda de disciplina e organização ;

9. Na hora de contratar, esqueça um pouco essa caretice de formação, ética e capacidade profissional, em prol de pessoas mais divertidas e menos carrancudas. A energia que elas trazem pode provocar transformações inesquecíveis (E não perca tempo tentando conciliar, procurando os dois perfis no mesmo corpo, pois essa gente muito séria no trabalho é chata demais).

10. deixe de lado a crença de que algo poderá dar errado no futuro, desapegue-se disso, e apegue-se à certeza do sucesso. Ai sim, tudo vai dar certo, basta acreditar.

Até o próximo.

Plataforma Brasil Editorial atua como uma agência independente na produção de conteúdo e informação



Outros artigos de notícias do mesmo mês


Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014