Notícias das franquias


30/06/2015

O mercado do ‘gás de cozinha’ na mira de novos investidores

Rentabilidade alta e segmento privilegiado levam novos empreendedores ao mercado do gás

Empresa

É provável que poucos brasileiros tenham a real dimensão da importância social e econômica do Gás Liquefeito de Petróleo para o país. Hoje, o GLP, mais conhecido como “gás de cozinha”, tem maior penetração no território nacional do que a energia elétrica, a água encanada e a coleta de esgoto. São mais de 42 milhões de residências – ou 95% do total de domicílios do Brasil – e mais de 150 mil empresas regularmente atendidas por uma ampla e eficiente rede de distribuição do Gás GLP, que está presente em 100% dos municípios brasileiros. Trata-se de um setor vital para a sociedade e que, portanto, deve estar ao alcance, sempre, de toda a população.

A indústria do Gás GLP é essencial também para a economia do país. São cerca de 6 milhões de toneladas comercializadas por ano, e um faturamento anual de aproximadamente R$ 18 bilhões. Esses números transformam o Brasil no quinto maior mercado mundial deste energético. O setor utiliza produtos e serviços de siderúrgicas, indústrias de máquinas e equipamentos, transportadoras, empresas de instalação, empresas de engenharia e muitas outras. Tudo somado, são pelo menos 350 mil empregos diretos e indiretos gerados pelo Gás GLP.

 Utilizando o canal de distribuição do licenciamento de novas revendas, o pequeno, médio ou grande empreendedor pode ingressar nesse mercado rentável e que cresce a cada ano. “Nossa meta é dobrar de tamanho nos próximos três anos”, declara Ali Kadri, diretor da área de marketing do Grupo Consigaz. Ele divide a operação e direção do Grupo junto com seus irmãos, especialistas em suas áreas estratégicas, que, com uma plataforma profissional de gestão caminham para alcançar esse número. “Hoje formatamos nossa operação com modelos de revenda que atendem desde o pequeno investidor, até uma grande base de distribuição regional e, estamos implantando novas áreas focando no canal de distribuição com novos parceiros licenciados. Essa é a oportunidade para que novos empreendedores ingressem nesse nicho de mercado que garante retorno e liquidez imediata. Não é a toa que operamos a maior rede de lojas próprias do setor, o negócio do gás é bom e rentável!”, afirma.

Os novos investidores interessados em ingressar nesse nicho de mercado devem ter em mente que esse é um negócio que demanda dedicação diária, gostar de trabalhar direto com o público e ‘saber vender’. O investimento inicial necessário é a partir de R$ 81 mil.

É o que confirma Luzeni da Silva Dutra Ramos, de Carapicuíba, na Grande São Paulo, “minha vida melhorou mil por cento depois que entrei para a família Consigaz. Hoje vendo quatro vezes mais, dispondo do apoio da diretoria e de muita propaganda. Por isso sou Consigaz dia e noite, 365 dias por ano.”

 

O DNA da família Consigaz

Nassib Saleh Kadri, imigrante libanês que chegou ao Brasil em 1958 montou, quase 20 anos depois, ao lado de sua loja de móveis , um comércio de gás acompanhado de seus filhos. Não muito tempo depois, já deu início a comercialização de gás envasado em cilindros maiores para o setor industrial. Foi em 92 que nasceu  a marca Consigaz. Cinco anos depois a marca importou a tecnologia Bobtail® de distribuição de gás a granel e, no ano seguinte adquiriu autorização para a operação da sua primeira base de distribuição de gás GLP na região de Paulínia, interior do estado de São Paulo. De lá para cá, o Grupo cresceu e se solidificou com a distribuição, revenda e até na fabricação dos seus próprios cilindros. Hoje, além da fábrica de cilindros, a CNC que produz botijões e tanques para todo o território nacional, está presente com bases de engarrafamento e distribuição em quatro estados do Brasil, São Paulo – com seis bases, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Goiás e Distrito Federal, e, está iniciando suas operações nos estados do Rio de Janeiro e Paraná. São mais de 30 milhões de consumidores beneficiados pelos produtos e serviços da rede, com mais de 350 revendas licenciadas, e, mais de 1600 veículos na frota.

O modelo do negócio

A partir de um estudo de territórios, a Consigaz disponibilizou algumas re­giões para novos empreendedores explorarem esses mercados. Mas, conforme seus especialistas, cada região mapeada tem um potencial para investimento definido. 

Existem vários modelos de negócio para a revenda, que vão desde a Microrevenda, com capacidade de armazenamento de até 40 botijões e faturamento mensal bruto mínimo de R$24 mil (600 botijões), até a revenda Platinum, uma distribuidora regional com capacidade de armazenamento de até 7.680 botijões e um faturamento mensal bruto estimado em um mínimo de R$930 mil (30 mil botijões).

As áreas disponíveis nessa fase de expansão, para novas revendas, são para investimentos a partir de R$81 mil, Revendas Top, com capacidade de armazenamento de até 480 botijões, faturamento mensal bruto mínimo estimado em R$57 mil (mínimo de 1.440 botijões), classificadas pela ANP como revendas Classe III que necessitam de uma área média de 250 m2.

O mercado do gás tem uma regulamentação muito intensa pelas leis de zoneamento, bombeiros e ANP- Agência Nacional do Petróleo. Toda a regulamentação, autorizações e documentação necessárias estão listadas em um passo a passo que a Consigaz já tem simplificado em manuais que facilitam a implantação da nova unidade. E, existe um limite rigorozo da capacidade de armazenamento em relação a legislação, que depende diretamente do tamanho da loja, por isso é importante fazer a escolha certa em relação ao modelo do negócio e ao potencial da região a ser explorada.

Para regiões que comportam unidades com potencial de venda maior do que a da Revenda Top, as projeções de faturamento são bastante atrativas também, e crescentes, conforme a projeção média da área do terreno a ser adequado e da capacidade de estoque que a revenda vai poder armazenar. São os modelos Master, Prata e Gold. Essa projeção determina cada modelo de negócio com sua capacidade de distribuição, faturamento estimado e níveis de investimento, respectivamente. As variáveis que influem na estimativa deste investimento inicial dependem da necessidade ou não de reforma ou construção das instalações da revenda, e da opção por parte do investidor, pela compra á vista ou financiada dos veículos e do estoque inicial recomendados para cada modelo de negócio, informa a distribuidora. 

A operação

No mercado do gás de cozinha, ‘estar presente’ junto ao consumidor  final, seja ele a dona de casa, os responsáveis por condomínios, ou os pequenos comerciantes próximos da revenda, é fundamental. A força da marca garante a confiança no produto e o serviço e a atenção prestados ao consumidor fazem a diferença. Qualquer semelhança às regras básicas do varejo não é mera coincidência.

Por isso, segundo o diretor da rede, “garantimos todo o apoio para os novos revendedores, e isso vai muito além da entrega e do abastecimento do produto. Os novos empreendedores contam com as vantagens o suporte necessários para começar a operar o seu negócio, tais como, assessoria na escolha do ponto comercial; orientação no projeto da loja; estudo sobre o potencial de venda da região escolhida e área de atuação privilegiada. A padronização da identidade visual da loja é por conta da Consigaz, além disso, oferecemos apoio promocional e publicitário, treinamento sobre o mercado e técnicas da melhor performance no varejo, além dos conteúdos desenvolvidos pela Consigaz, focados para a melhor qualidade dos serviços de nossas revendas. Os padrões já estão manualizados”.

“A operação é de alta lucratividade”, afirma Ali. “O negócio é de fácil operação, mas o trabalho é diário. Nosso potencial revendedor tem de gostar de trabalhar com o público e ser um ‘comerciante’ nato. Ele vai contar com o melhor apoio para se manter presente no dia-a-dia de seu consumidor, mas tem de colocar em prática ações contínuas, perió­dicas e implantar todas as técnicas que já testamos em campo”.

Garantia do investimento e áreas de interesse

Para o novo empreendedor, a taxa de adesão, propaganda e royalties não existem. E, a ‘moeda corrente’ deste mercado, que são os botijões, por si só já são uma garantia do retorno imediato do investimento, pois no momento em que o novo revendedor investiu em seu estoque inicial, os botijões cheios ou vazios já podem ser transformados em dinheiro, na hora que for necessário. “Seu patrimônio já vale o dobro”, garante Ali, e, em relação a expansão, continua “a procura é tão grande que antes mesmo de efetivamente divulgarmos as regiões onde estaríamos disponibilizando para novos distribuidores, nós já tínhamos uma lista de interessados”.

As primeiras regiões de interesse para expansão são as no entorno das bases de distribuição do Grupo em Goiás e Distrito Federal, com a marca Gasball. As regiões no entorno de Canoas(RS), Cariacica(ES) e todo o estado de São Paulo, com a marca Consigaz. Segundo o diretor da empresa, o principal objetivo do Grupo é que a expansão seja feita de forma sustentável. A capacidade produtiva das fábricas assegura aos distribuidores toda infraestrutura necessária.

Caro leitor, se você quer ser o revendedor de gás de sua região, que, segundo os players que já atuam nele há alguns anos, “é o melhor negócio para se trabalhar”, pode contar com uma margem de lucro média de 28%. Esse é o momento, pesquise e bons negócios!!



Outros artigos de notícias do mesmo mês